31 janeiro 2011

São Paulo by Lorota e Cia de Foto

Estou de viagem marcada para o Brasil e neste clima pré-férias fico viajando na web procurando dicas de programas para fazer com meu little man no nosso país lindo.


E foi assim, num desses típicos domingos preguiçosos de inverno, numa tarde banhada a muito chá e visitinhas a blogs desconhecidos (meus, claro!), que descobri esta jóia que é a equipe da Lorota.


Eles se auto-definem assim:


Lorota é uma marca infantil que tem como conceito a busca por ideias que se transformem sempre. São objetos que podem virar vídeos, que são jogos, mas também peças decorativas, que se tornam festas, e que carregam um único objetivo: a brincadeira!


No blog encontrei esse vídeo maravilhoso da série !sso não é Normal. O vídeo fala dos problemas que São Paulo enfrenta agora, consequência do modelo da cidade, da história de sua ocupação e do modo como seus habitantes vivem; um trabalho lindíssimo de parceria entre a equipe da Lorota (ilustração/animação) e a Cia de Foto (edição/direção/fotografia). 

28 janeiro 2011

Working Mom Inés Aguilar

Inés Aguilar, 35 anos, é de Madrid, é estilista da 'La Casita de Wendy' e mãe da Valentina, de 3 meses. Inés mora com seu companheiro, o Miguel, em uma casa lindíssima nos arredores de Madrid.


Conheci a Inés em 2002 quando eu morava em Madrid. Sua marca de roupas é um encanto, suas criações já vestiram personalidades tão famosas como a Björk, que é fã da marca. Suas roupas são comercializadas em lojas super conhecidas em Tóquio, Paris, Nova York, Hong Kong, Londres e uma longa lista de etcéteras. Fiquei muito feliz quando a Inés aceitou participar do Working Mom e compartilhar com a gente um pouquinho da sua experiência como mãe, mulher e profissional.

Um dia normal na tua vida…
Depende do dia. Se o Miguel, meu companheiro, não trabalha de manhã ele se levanta com a Valentina e eu aproveito para dormir um pouco mais.
Levanto lá pelas onze, tomo o café da manhã enquanto vou revisando meus e-mails. Normalmente respondo e-mails enquanto dou de mamar à pequena. Também costumo, depois do almoço, ir passear com ela em um parque que fica perto de casa. Eu a ponho no sling assim posso desenhar, trabalhar no Photoshop ou pendurar roupas, fazer chamadas, etc. Costumo ficar com ela atadinha em mim umas 3 ou 4 horas ao dia porque a tranquiliza um montão e assim posso adiantar o trabalho.

Lá pelas 9 da noite lhe damos um banho e ela mama bastante para não acordar (risos) e eu aproveito para trabalhar com o computador na cama até a 1 ou 2 da manhã, na maioria das vezes com ela dormindo em cima da minha barriga.

Trabalhar e ser mãe é compatível?
Por enquanto minha experiência diz que sim, não sei como será mais para frente (risos). Também tenho sorte de trabalhar em casa, se nãoacho que não poderia… deve ser muito difícil ter que se separar do bebê quando ele tem apenas 4 ou 6 meses.

Apesar de que, quando você é o dono da sua própria empresa não tem direito à licença maternidade e eu já estava trabalhando três dias depois da Valentina nascer. Eu tinha que responder e-mails dos fabricantes, enviar estampados, entre outras coisas...

Alguma vez deixar de trabalhar foi uma opção?
Nunca pensei em deixar de trabalhar porque gosto muitíssimo do que faço, é meu hobby. Se não trabalho um diame sinto entediada e não sei o que fazer. Além disso, eu curto muito que a pequena esteja comigo enquanto trabalho, assim ela aprende coisas, vê coisas interessantes, visita ateliers de costura e assiste a sessões de fotos, conhece gente diferente, etc...

O que mudou na tua vida desde que é mãe?
Minha vida não mudou muito, só que agora tenho a Valentina e com ela, sinto uma sensação de felicidade e amor. Quando acordo e a vejo, me alegra o dia e me dá forças para realizar todos os meus projetos. No entanto, meu dia-a-dia continua muito parecido e continuo desfrutando muito de desenhar e fazer coisas criativas.

Qual o segredo para conseguir fazer tudo (ou quase tudo) que tem pra fazer?
Trabalhar muito e ser otimista! Ou seja, se um dia durmo pouco e ainda por cima tenho muito trabalho, olho para a pequena como joga e faz barulhinhos e penso na sorte que tenho de tê-la e também ao meu companheiro e o quanto somos felizes. Isso me dá forças para terminar tudo o que tenho que fazer no dia.

Nada disso seria possível sem...
O Miguel, que me ajuda tanto e sabe como acalmar a Valentina quando chora e está nervosa. Ele também faz as compras, a comida e ajuda muitíssimo na casa. Também tivemos que contratar uma pessoa para fazer a limpeza porque não temos tempo de colocar a roupa pra lavar, passar, etc...

E para recarregar a pilhas, o que você faz?
Tento dormir sempre que posso, gosto muito de assistir filmes na cama antes de dormir e também saímos para o campo nos fins de semana... é genial!

Uma alegria de ser mãe...
Tudo é uma alegria... ver como a Valentina cresce e aprende coisas, como sorri, como está gordinha e bonita... Isso é maravilhoso, te ensina a ser mais generosa e pensar primeiro nela e depois em si.

Teu dia ideal...
O dia que passamos os três juntos em casa e que vamos passear no bosque de pinheiros com a pequena...

27 janeiro 2011

A almofada - da idéia ao produto final




Muitas vezes compramos uma almofada ou uma ilustração ou até mesmo uma peça de roupa que é feita de forma artesanal e achamos caro. Há muito tempo que optei pela fórmula 'menos vale mais', ou seja, menos coisas industriais e mais coisas feitas à mão ou de maneira ética e natural (claro que nem sempre é possível no orçamento familiar aqui de casa).

Sou fã incondicional de webs como o Etsy ou Tanlup e achei legal compartir com vocês umas fotos de um post interessantíssimo que mostra o processo completo por trás da criação de uma simples almofada conceito feita de maneira artesanal. 

Uma loucura de detalhes e inúmeras etapas que o artista tem que seguir desde sua idéia até o produto final.

O trabalho abaixo é obra do artista Ben Javens.

Post original com todo o processo aqui.







26 janeiro 2011

Casas de sonho I

Nossa busca por terrenos continua. Entretanto, eu sigo sonhando com casas maravilhosas que encontro por aí. Essa do post é um projeto da Mateu Architectures e fica na Flórida. Chama-se Casa Grove I.

25 janeiro 2011

Planeta Tangerina ♥♥♥

Eles se auto-definem assim: 


Cada edição do Planeta Tangerina é preparada com os cuidados de uma fornada antiga de pão: recolhemos o cereal, apenas quando se encontra maduro; trituramos no moinho, em pedra que moa fininho para não passarem impurezas; e depois amassamos e voltamos a amassar, de mangas bem arregaçadas (e mãos sempre lavadas).
Após um longo e quente repouso, tendemos pequenas bolas que vão a cozer em forno de lenha. Mais tarde, folheamos devagar cada exemplar, saboreando todo o miolo ainda fumegante... A Editora Planeta Tangerina aposta na edição de álbuns ilustrados para pequenos e grandes leitores. Cada livro é cuidadosamente pensado: da ideia ao texto, das ilustrações ao design ou à escolha do papel, todos os elementos se conjugam pela qualidade do todo final.


Eu os defino assim:


Uma editora para pequenos e grandes leitores com ilustrações lindíssimas, livros bem escritos e super bem acabados e  que nos ensinam a explorar a leitura de maneira divertida e criativa.


Agora é a sua vez de explorar a web e os pdfs dos livros e se apaixonar pelos trabalhos da Editora Planeta Tangerina! A dica eu já dei ♥♥♥


Mais informação aqui:
Facebook
Flickr
Blog

24 janeiro 2011

Sweet Monday - o gato do vizinho



Nosso little man ADORA gatos. Ele fica literalmente louco! No domingo fomos almoçar na casa dos nossos vizinhos e eles tem um gato chamado Yan. O Max apertou tanto o bichinho que quase levou uma arranhada na cara... Se não fosse minha alergia comprava um gatinho pra ele sem titubear!

23 janeiro 2011

Minha pequena coleção de pretty ballerinas...

Lea Hartman
Miss Winter
Liddie Gal
Tilemahos Efthimiadis
Adoro caixinhas de música com bailarinas... quando eu era pequena minha mãe tinha uma lá em casa, onde ela guardava suas jóias e pequenos tesouros. 


Minha pequena coleção by Flickr...

21 janeiro 2011

Tal pai tal filho

Adorei o poster, a idéia, o conceito, enfim tudo! Natz, valeu a dica viu? Fui lá bisbilhotar na página do artista e encontrei mais informação.


A ilustração acima é resultado de um trabalho de colaboração pai e filho. Os desenhos e hand writing by Koen (6 anos) e a arte digital by daddy. Lindo demais, e eles vendem a lâmina online.

Bom fim de semana para vocês!

20 janeiro 2011

Working Mom Vanessa Ribeiro no Mother Love Database



Vocês já devem conhecer, se são leitores assíduos do blog, meu post quinzenal chamado Working Mom. Recebi muito apoio e carinho de várias mamães blogueiras e papais também elogiando a iniciativa.


Uma dessas mamães foi a Carol, autora de um blog super legal, o Mother Love Database. A Carol me perguntou se eu topava ser a Working Mom número 3 só que lá no blog dela. Adorei a idéia e topei na hora.


O resultado você pode conferir aqui.

19 janeiro 2011

Little Collector - uma galeria online para crianças

Sempre adorei ilustrações e confesso que tenho que me controlar para não comprar tudo que encontro no Etsy! Resulta que essa manhã descobri esta web que é fantástica. 


Little Collector é uma galeria de arte contemporânea online para os little ones da casa (e os big ones também, claro!). A proposta é muito original - introduzir as crianças ao mundo da arte através de informação (Art 101) e uma loja online estilo galeria de arte com preços bem acessíveis. As obras são todas de tiragem limitada (nada de impressão industrial à la Ikea e que brota por aí igualzinho a champignon) e com opção de moldura e tudo.


Eu recomendo uma visitinha à web de Little Collector nem que seja somente para bisbilhotar um pouco.

17 janeiro 2011

Para começar o ano bem!

Toxic Guinea Pigs

Priss Designs

Modern Pop
 Beck and Lundy
Winifred Studios
Aliette
Our Little Love Nest

Sempre gostei de calendários (deve ser resquício da minha paixao por papéis de carta quando era menina) e quando começa o ano fico perdidinha escolhendo qual deles colocar em casa e no escritório. Acho que o ano começa melhor com calendário novo e bonito!

Deixo aqui alguns que me inspiraram em 2011...

16 janeiro 2011

10 meses

Nosso little man já está com 10 meses... que loucura, o tempo voa! Essas últimas semanas foram marcadas principalmente pelo nascimento dos dentinhos de cima (três), ou seja, poucas horas de sono e muita agitação durante o dia. 


Gavetas, portas de armário, panelas, bidet, jogar roupas no chão - tudo que é "proibido" lhe fascina. Estamos curtindo muito essa fase de descobertas do Max, de gargalhadas gostosas (ele adora ir no supermercado com a gente e fazer corrida de carrinho no estacionamento!), gritos monosilábicos, puxar nosso cabelo e mandar beijinhos com as mãos. Caminha empurrando cadeiras e passeia por tudo apoiando na parede. Ontem foi muito engraçado porque reparamos que quando ele está com fome abre e fecha a boca pra gente!


Realmente 10 meses de muitas descobertas com nosso little man e principalmente de muitas alegrias!!!

12 janeiro 2011

Carnaval no Rio, será?

by João Fanara
Primeiro foi a euforia de comprar nossas passagens para o Brasil, logo veio o briefing de tudo aquilo que necessito que meus pais comprem ou peguem emprestado para nosso little man (cadeirinha de carro, bercinho de viagem, banheira de bebê, etc...) e agora o desespero para encontrar um lugar pra ficar durante o carnaval no Rio! 


Valeram as dicas da Vavá e de todos nossos amigos no Facebook, mas ainda não conseguimos decidir onde ficar. Os preços são exorbitantes - as diárias variam de 300 reais por dia em uma pousada sem banheiro privativo até 3.000 reais para 5 dias de estadia em um flat horrendo em Copacabana! O povo tá com grana mesmo né? 


Claro que a oferta é super variada, encontrei pessoas super simpáticas e apês lindos, mas também vi coisa muito feia e cara. Seguimos nossa busca, não desistimos e se não rolar o apê do amigo da Yasmina ou uma pousada em Santa Tereza acho que acabaremos cancelando a paradinha no Rio para o carnaval... 

11 janeiro 2011

Bonecos de Pom Pom

by Duduá
Ai, que pena que o curso de bonecos de pom pom da loja Duduá acontece na quinta de tarde... se não tivesse que trabalhar juro que iria. Quando eu era pequena minha avó, que era costureira de mão cheia, fazia bonecas e bonequinhos de pom pom lindos pra gente. Nostalgia....


Loja Duduá
Passatge de la Pau, 13
Taller de bonecos de pom pom - 27 Janeiro de 17 a 20 horas
Inscrições

09 janeiro 2011

Curso de cerâmica japonesa


Sábado comecei meu curso de cerâmica japonesa. Já fazia mais de um ano que eu falava deste curso e finalmente yes, consegui me organizar aqui em casa para poder ter três horinhas livres no sábado para ir ao curso.


A professora e dona do taller chama-se Motoko e é uma linda. Aqui os deixo o link do taller Yuu em Barcelona. Ela produz e vende peças lindíssimas. Uma vez ao ano organiza uma feira com os projetos dos alunos. Deu pra sentir que estou empolgadíssima né?

08 janeiro 2011

Casas de sonho

Sempre adorei interior design. Agora que sou mãe, gosto mais ainda porque tenho cada vez mais aquele nesting instinct  (já sei que é de mulher grávida mas o meu não curou com o parto!) de querer cuidar da casa e deixá-la linda para nós 3.


Como ainda não encontramos nossa casa ideal (já levamos mais de um ano procurando uma para comprar) fico viajando e me inspirando na dos outros. Vai dizer que a casa dessa família sueca/francesa que mora em Kensignton (Londres) não é de sonho? Estou babando!


(via Milk Magazine)

06 janeiro 2011

Working Mom Tasla (Tuxa) La Pastina Worth


Tasla (Tuxa) Carpanezzi La Pastina Worth, 36 anos, é product marketing manager e trabalha para a Yahoo há 11 anos. A Tuxa nasceu em Curitiba mas mora com a família em Sydney (Australia), é mãe da Sabrina, de 2 anos e 8 meses.

Tuxa e eu, nos conhecemos faz exatamente 21 anos (que loucura!). Estudamos juntas no Dom Bosco, passamos vários carnavais em Caiobá, curtimos muitas festas na casa da tia Heloísa (Lulis e Lela), tivemos nossos momentos Deee-Lite com o Fábio e o Nuno (Amnésia total) e voltávamos de carona com o pai da Bá com direito a final de festa na piscina da casa da Tuxa no São Lourenço. Hoje, depois do mundo dar muitas voltas, somos mães e vivemos vidas muito parecidas em lugares bem distantes. Fico muito feliz da Tuxa ter aceitado participar do primeiro Working Mom de 2011...

Um dia normal na tua vida...
Desde que me tornei mãe não uso mais o despertador. Acordo geralmente às 7 horas com um gritinho vindo do quarto ao lado: “Mummy”; coloco a Sabrina pra assistir desenho e vou fazer o café e a mamadeira dela. Me preparo para ir ao trabalho, arrumo a Sabrina pra ir ao daycare  onde, com meu marido, a deixamos às 8:40. Em seguida, ele me deixa no trabalho às 9. Sabrina vai ao daycare 4 dias na semana.  

Às 17:00h tudo recomeça. Meu marido busca Sabrina na escolinha e depois me pega no trabalho. Chegamos em casa, fazemos o jantar e comemos todos juntos. Brincamos um pouco, depois é hora do banho, escovar os dentes, pijama, mamadeira da noite e a historinha antes de dormir. A Sabrina agora só dorme se pegar no meu cabelo, então sempre tem que ser a mamãe contando historinha... às 21:30 ela cai no sono na minha cama e depois a coloco  na sua cama. Começa meu terceiro turno... arrumo a cozinha, preparo algo pra levar de almoço para o trabalho no dia seguinte (aqui nao existe ticket refeição!!!). Deito depois das 22:00. Leio algumas páginas do meu livro e capoto.

Trabalhar e ser mãe é compatível?
Sim, mas há diferenças. Trabalhar full-time no Brasil onde se tem empregada/faxineira, babá, parentes na mesma cidade – é uma coisa. Trabalhar full-time morando fora do seu país é um outro desafio, completamente diferente. Eu trabalho 4 dias e meio por semana e não me imagino trabalhando 5 dias full. O meu meio dia off me proporciona um tempo só com a Sabrina e isso me dá uma lucidez incrível. Aqui na Australia, de todas as minhas amigas que são mães, apenas eu e uma outra brasileira trabalhamos mais de 4 dias. TODAS as outras, ou não trabalham at all, ou trabalham apenas 3, no máximo 4 dias por semana. Este é o padrão daqui. Sou excessão da excessão, ainda mais por não ter familia por perto para dar uma ajuda. Em muitos casos, é o pai quem fica com a criança em casa até ela crescer e ter idade para ir à escola, aos 5 anos.

Alguma vez deixar de trabalhar foi uma opção?
Não. Nunca foi opção no meu caso porque meu marido é autônomo e está construindo o negócio dele ainda. Ele era autônomo no Brasil mas tinha uma clientela sólida, construída ao longo de 12 anos de trabalho. Largamos tudo pra começar aqui do zero. Ele abriu um escritorio em abril e está crescendo. Ou seja, dependemos bastante do meu salário fixo para pagar a maioria das contas. Com o negócio dele mais estabelecido, pretendo parar de trabalhar um ou dois dias inteiros pra poder me dedidar mais à Sabrina e à casa. Tenho também o sonho de um dia poder trabalhar no studio de design e web development dele, construindo algo genuinamente nosso. 

Acho super importante conciliar maternidade com profissão e atingir esse equilibrio é meu maior objetivo. Por mais que eu ame ser mãe mais do que tudo, eu adoro usar minha cabeça também para outras coisas. Não poderia ser uma full-time stay at home mum, acho que enlouqueceria… Nunca me senti culpada por ter de voltar a trabalhar. Voltei ao trabalho quando ela estava para completar 5 meses. Por sorte, meu marido tinha um home office na época e conseguiu conciliar os cuidados com ela e o trabalho em casa.

Qual o segredo para conseguir fazer tudo (ou quase tudo) que tem que fazer?
Não sei ainda. Como dizia a  na última entrevista - se você descobrir você me conta! Estou brincando. Na minha opinião o segredo é muito simples: estabeleça metas possíveis de serem atingidas. Tenha expectativas realistas sobre o que você consegue ou não fazer. Por exemplo: eu desisti de ter uma casa inteira arrumada. Ela está sempre limpa, lógico, mas mantê-la em ordem com uma criança de 2 anos e 8 meses em casa é outra história. Por exemplo, no dia em que eu cozinho um belo jantar, dou-me por satisfeita em conseguir limpar a cozinha inteira depois. Neste dia, a sala está coberta de brinquedos no chão, o cesto de roupas sujas na área de serviço está transbordando e no meu quarto, duas cestas enormes de roupas para dobrar descansam em paz. É como aquele livro de poesias da Cecília Meireles 'Ou Isto, Ou Aquilo'.

Falo com convicção agora mas, demorei muito tempo para compreender e aceitar isso. Também aceitei o fato de que não tenho como frequentar academia nesse momento ou pensar em estudar um MBA ou mudar de emprego. Tudo isso esta on hold na minha vida, até ela crescer um pouco mais.
Nada disso seria possível sem...
Meu marido, o Rick. Ele é o melhor pai do mundo, cuida da Sabrina ultra-bem (em muitas ocasiões ele tem mais paciência do que eu), dividimos todas as tarefas da casa e dos cuidados com  ela, igualmente. Isso sem falar o tanto que ele trabalha para tocar o próprio negócio e publicar a revista mensal  que ele faz, para a comunidade brasileira. Além disso,  é um ótimo cozinheiro!!!

E para recarregar as baterías?
Recarrego as baterías no final de semana apenas. Um dia eu tiro pra cuidar da casa e no outro fazemos algo com amigos. Temos uma turma maravilhosa e fazemos muitos programas juntos. Picnics na praia, churrasco, jantares. Ah, e o vinhozinho… A indústria de vinhos australiana é fantástica!!!!! Por sorte, queijos, vinhos e chocolates de qualidade aqui são bastante acessíveis.

Teu dia ideal...
Vivemos dois meses e meio perfeitos quando a minha sogra veio nos visitar em abril. Chegava em casa e tinha jantar pronto, roupas limpas e guardadas no armário, casa impecável. Eu podia sentar no sofá, relaxar e dedicar todo o meu tempo em casa, para brincar e curtir a minha filhota. Minha semana ideal é aquela em que a Sabrina dorme a noite inteira, sem interrupções. Os finais de semana no verão também são ideais. Ir à praia, passear e ver family movies juntos é uma delícia.

Qual é o maior desafio de criar a Sabrina longe do Brasil?
São muitos. Ultimamente minha mãe anda triste demais por não estar acompanhando o desenvolvimento da neta. Ela fala que chora de saudades de noite, beija as fotos do porta-retrato e ouvir isso, acaba comigo. Minhas irmãs também sentem muita falta, somos uma família super unida e babona. Curti muito meu sobrinho que agora tem 8 anos e minha mãe é parte presente da criação dele, passam um tempo enorme juntos. Me sinto bastante culpada por ter escolhido morar aqui do outro lado do mundo e por querer criá-la aqui. Mas procuro pensar nas oportunidades que ela terá como falar Inglês e Português fluentemente, ter passaporte australiano, ter acesso a escola pública de qualidade, segurança, ar puro, independência, estudo universitário acessível e por aí vai…

Outro desafio é administrar as doenças de infância dela aqui, sendo que não consigo confiar 100% nos médicos que nos atendem. Os diagnósticos e tratamentos que nos passam são sempre diferentes dos que minha mãe e irmã, ambas médicas, recomendam no Brasil!

E morar no Brasil, é uma opção?
Sim. Acho que a saudade vai apertar logo, logo. Mas não agora. Investimos muito dinheiro, suor, trabalho e coração no sonho de imigrar para a Austrália. As coisas foram muito, mas muito mais difíceis do que imaginamos e acho que ainda não estamos 100% adaptados.Queremos pelo menos ter o passaporte australiano (podemos pedir este ano já) antes de pensar em voltar.  

O que mudou na sua vida desde que você é mãe?
Tudo, o fato de não ser mais dona do meu tempo ou da minha vida, mas principalmente minha sensibilidade. Sempre fui super ligada em criança, fiz trabalho voluntário na Brinquedoteca da unidade de assistência do Hospital Albert Einstein em Paraisópolis (favela em Sampa) e meu primeiro trabalho foi numa pré-escola como professora assistente de dança. Porém, desde que virei mãe choro copiosamente ao ver imagens de crianças nos campos de refugiados da África, ao assistir a propaganda do World Vision (Sponsor a Child Today) na TV, ou ao ler notícias de pais doidos que mataram o bebê porque ele não parava de chorar. Não posso mais com esse tipo de coisas!  Me dói só de imaginar tamanha injustiça ou atrocidade contra uma alma tão pura, linda e ingênua como a de uma criança. Acho que a gente sem querer transporta-se e imagina o nosso filho passando por isso e a dor é simplesmente insuportável.

Uma alegria...
Só uma? São tantas, e acontecem todos os dias! Adoro quando a Sabrina brinca de pentear meu cabelo e fala: “You are beautiful like this, mummy. You are a princess.”. Ou quando ela vem me beijar e fazer beijinho de esquimó comigo, quando ela vem me buscar no trabalho e sai do carro pra me esperar e ao me ver vem correndo na minha direção com os braços abertos pra me abraçar. Adoro beijar a bochecha dela quando ela está dormindo.

Dolce far niente

by Wedding by Two
Feriadão de reis hoje na Espanha e amanhã trabalho em casa. Aproveitei e fiz um bolo de doce de leite, curti o filhão, rimos muito, dormimos muito, comemos muito, escutamos muita música e ontem vimos a cavalgada de Reis de Valldoreix. Vai dizer que essa foto do Wedding by Two não inspira a dolce far niente?

02 janeiro 2011

Feliz 2011

Essa manhã o gatinho do vizinho veio nos despertar na janela do quarto do Max. Chegamos da França ontem à noite e é muito legal voltar de férias com o nosso little man porque ele fica super feliz de voltar pra casa. O mais divertido é ver como ao voltar, sempre existem novos skills que aprendeu durante os dias de férias em família...
Related Posts with Thumbnails