24 agosto 2011

Já estamos com saudades

Hoje acordei triste, cheia de saudades... como diz o Rémi - Como é que você pode sentir saudades de alguém que ainda está aqui? Pois é, essas complexidades da existência humana (pelo menos a minha), que sofre por antecipação.


Foram 38 dias de muita felicidade, com a vovó Chel vivendo aqui com a gente. Foi um verão daqueles especiais, que me fizeram sentir criança novamente, curtindo os mimos da mamãe, e que fizeram o pequeno Max entender a gostosura que é ter uma avó pertinho dele.


Lembrarei de cada momento, de cada coisa nova que nosso little man aprendeu nestes dias que passou junta à vovó em Valldoreix, entre elas o toca aqui ó, bibi, brum quando quer a chupeta (ok, não me perguntem o porquê), mi  pra formiga, mi pro vídeo (ok, também não entendi a relação),  e uma enorme lista de coisinhas novas que se não ficaram registradas nos inúmeros vídeos da vovó, com certeza ficarñao na nossa lembrança.


Mas a vovó também viu lugares lindos, como La Chapelle na França e Tossa del Mar na Cataluña, e acabou até tendo que escalar para poder acompanhar o genro louco e fissurado em Psicobloc (um dia eu conto a nossa aventura em Montserrat um dia antes do Max nascer, de barrigão e tudo).


Vovó Chel, vamos sentir muito tua falta, uma saudade imensa que, na real, já estou sentindo antes mesmo de você ter viajado. 




4 comentários:

Raquel Ribeiro Mohtadi disse...

Vane, como é difícil postar um comentário quando se está vivenciando um momento triste de despedida mas também de gratidao por ter tido a oportunidade de conviver estes dias que passaram voando, com vocês juntinho de mim. Foram tantas coisas novas registradas no coraçao, na alma e na lembranca que nunca vao se apagar. Seria pedir muito a Deus, a possibilidade de um dia estarmos perto pra nunca ter que dizer…até um dia? Nao sei se é pedir demais mas estou falando com Ele no pé do ouvido pra conseguir esta alegria!!! Amo demais vocês, meus amores e agradeço por todo o carinho que tiveram comigo nestes dias. Com certeza, o Max me ensinou muita coisa e aprendeu muita coisa nos nossos diálogos lunáticos.. a gente se entende muito bem!!! Ele me protegeu quando eu tinha que subir uma escada, dando a maozinha e me chamando para ter confiança porque ele estava ali me amparando. Também me ajudando, no nosso diálogo me informava que eu tinha deixado alguma coisa no quarto e me dava com todo carinho para lavar. O sorriso alegre pela manha quando acordava, trazendo toda a primavera colorida para aquele rostinho feliz. Nao sei como vai ser amanha quando eu nao estiver aquí para acordar com ele… Nao consigo continuar… assim que estiver melhor, posto alguma mensagem mais alegre,,, agora tenho que me preparar para esta despedida da maneira mais alegre que conseguir porque ele e vocês merecem alegria e nao tristeza. Obrigada por tudo, pela felicidade de ter uma familia amada e o presente deste neto especial…

Roberta Lippi disse...

Nossa, Van, vim aqui pra comentar e quase chorei com a resposta da sua mãe!!!
Eu ia dizer que imagino o quanto deve ser difícil isso pra você. Porque a minha mãe mora no interior e eu já sofro por não estar muito perto dela. Quando a gente viaja e leva ela junto, na volta fica um vazio...
Mas o importante é curtirmos ao máximo enquanto estamos com elas, né? E os netos, principalmente.
Beijos

Celi disse...

Como é difícil. Imagino. Faz pouco tempo que minha mãe também esteve conosco. A despedida foi uma tristeza. A gente se acostuma, gosta e adora vê-las curtindo o neto. Muito, mas muito bom!
Espero que em breve tenham um novo reencontro.
Beijos

Lis disse...

Vane e Rachel o que me deixa mais feliz é saber que o amor ultrapassa fronteiras! E que a saudade é um bem que nos motiva diariamene!! Por isso, ai que saudades de vc e da Dona Rachel, do Max e do Remy!! Um beijão, nem precisa dizer que estou emocionada pelo amor de vcs.

Related Posts with Thumbnails