14 abril 2011

A sociologia do adesivo da Família Feliz

Eu tinha que escrever um post sobre essa moda que conquistou SP. Primeiro dia na cidade, trânsito infernal, calor do cão, ou seja, tudo normal. Foi quando reparei que quase todos os carros que paravam em frente à gente tinham um adesivinho de uma família colado no porta-malas. Achei aquilo engraçado e perguntei à minha irmã se ela tinha reparado naquilo.

Ela me explicou que era o adesivo da Família Feliz. Na real, depois de tantos adesivos por todos os lados, comecei a achar a coisa meio brega. Foi quando o meu marido, que não é brasileiro, soltou um comentário interessante, daqueles que só quem não é brasileiro poderia soltar: Puxa, até que de um ponto de vista sociológico o lance é interessante, já que talvez possa diminuir a violência porque o individuo vai pensar duas vezes antes de roubar uma pessoa que é pai de família e com dois filhos pequenos não? Ok, food for thought!

Ontem li um post lá no blog da TPM sobre o assunto e até fiz um retweet do tema porque apesar de achar essa moda brega, acabei encontrando alguns adesivos que me fizeram rir muito. Um era de uma família bastante numerosa (4 filhos, gato, cachorro, mulher, ex-mulher, avó e tartaruga) que quase não cabia no porta malas do Fiat UNO do indivíduo. Realmente nesse caso, o tamanho da família nãe era proporcional ao tamanho do carro! 

Outro adesivo muito maneiro foi o de um casal gay - dois homens, um gato e um aquário com um peixe dentro. Essas duas famílias me inspiraram e comecei a pensar em como a situação familiar do brasileiro pode ser complicada e divertida ao mesmo tempo. Por exemplo, como seria o adesivo do carro do Vinícius de Moraes, por exemplo, com tanto filho oficial e não oficial perdido por aí? Haja porta-malas ;-) 

{foto do blog Conversando no Sofá}

13 comentários:

Ingrid Souza disse...

Já li alguns posts sobre o assunto, uns criticando ferozmente dizendo que é brega, ridiculo, isso e aquilo (no carro é brega, mas no blog pode), outros dizendo que é bonitinho...e teve também que ao contrário do seu marido, disse que o adesivo atrai ladrão e facilita a vida dos meliantes que só de olhar no carro já sabe que ali tem um mãe e esse é um alvo fácil.

Eu to com vcs,pode até ser breguinha, mas é interessante e prefiro tb pensar que um ladrão vai pensar bem antes de assaltar um carro de familia. =)

Beijocas

PS:Imagina como seria o carro da Baby Consuelo ou da Angelina Joli se resolvesse colocar um adesivo desses, teria que ser uma VAN hahahhaha

Momento Hengs disse...

Pois é ... eu já ouvi falar que é um alvo fácil, pque como normalmente é mulher que coloca estas coisinhas fru fru, sabem que é carro de mulher e assaltam mesmo, mas acho que isso vai da sorte ou azar de cada pessoa heheheheeheeh.... mas que é jacú, ahhhhhh, peço desculpas aos que possuem, mas é muiiiiiiiitoooooo jacú, heheheheehhehe.... tdo que vira moda depois de um tempo fica jacú, né???

Guta Brandt disse...

Olá Vane,

A principal discussão hoje é justamente a de que os adesivos fornecem informações para criminosos.

A moda surgiu em Santa Catarina, com um empresário e designer (se não me engano) de Blumenau, que confeccionou bonecos dele, da esposa e do filho para enfeitar a maternidade, quando o bebê nasceu. Os amigos gostaram e ele teve a ideia de confeccionar os adesivos. Há mais ou menos um ano e meio estive em Floripa para fazer um concurso, e todos os carros de SC que viamos na estrada, estavam com os adesivos. Achamos curioso. Ano passado a moda se espalhou pelo Brasil.

Eu, particularmente, concordo com a questão das informações aos criminosos. Te deixo com o link de uma matéria na qual autoridades policiais alertam para o perigo dos adesivos, que, segundo afirmam, podem fornecer informações fáceis para sequestros-relâmpagos. Além disso, há quem diga também que, no caso dos homossexuais, os adesivos podem nos tornar alvos fáceis para crimes de homofobia.

http://www.gcn.net.br/jornal/index.php?codigo=125279&codigo_categoria=4&leitores=9041

Vai de cada um avaliar, né?!

Beijos!!!

fhabyo disse...

Vane, na verdade tenho uma outra teoria sobre esses adesivos. em um mundo mega conectado, onde as pessoas tem 800 amigos no facebook, 500 no twt e não recebem uma ligação quando chegam em casa a noite, o que ninguém quer parecer é sozinho. ou seja, com esse adesivo todo mundo consegue deixar claro que tem o seu grupo, a sua turma, sempre representado da melhor maneira pela família. para mim é isso, uma prova de que a sociedade brasileira moderna teme mais do que nunca a solidão. bjs

feravila1108 disse...

Hahaha... li o post e estava lendo os comentários para falar sobre a teoria do Fhabyo. Mas ele foi mais rápido (está mais conectado)! Beijos Van..

Vanessa Ribeiro disse...

Nossa, até o Fhabyo entrou na conversa? Gostei viu?

Putz Guta, nao acho que esses adesivos generem mais violência nao, isso na minha opiniao é mania nossa de brasileiro, sempre com medo de tudo. Mas essa é minha opiniao, claro.

Achei o movimento interessante e despretencioso, e no fim olha só, todo mundo opinando!!!! Agora, família de celebridade à la Jolie-Pitt, só pode caber no carrao se deixar todas as babás e guarda-costas de fora hahahaha. Adorei Ingrid.

Fê, adorei ver vc aí, blogando de novo viu?

E He, jacu era uma palavra que eu nem lembrava e olha, foi difícil explicar aqui no escritório viu?

Beijao a todos,

Van

Anônimo disse...

van, vi um que era só um "homem" ! sozinho!!! esse aí estava gritando aos 4 cantos que era SOLTEIRO! hahahaha

beijos,


Dani Munhoz-Millenet

Anne disse...

aaiinnn... eu não gosto desses adesivos...
acho a arte feia, a moda perigosa e beeem cafona!
hahahah
bjo

Juliana Xavier de Lima disse...

putz, Van, em Curitiba tambem tava cheio, voce nao viu, nao? tambem tive que tentar explicar pro maridao gringo, que nao entendeu muito. eu acho cafona. xx

Lenita disse...

sorry! mas nenhum bandido vai deixar de roubar alguma coisa por causa do adesivo da família... quantas casas de familia sofrem arrastão, não é mesmo? agora sob o aspecto decorativo, não curto muito não. quando vejo alguma coisa muito brega, eu costumo dizer q serve para enfeitar o ambiente. acho q o adesivo atendeu o propósito.

Daniella disse...

Delícia de assunto...
Bem...vários aspectos né...não que o assaltante vá deixar de assaltar - ou, como dizem algumas teorias, vá te seguir e observar o seu dia a dia e seus horarios p te assaltar - mas, sem dúvida o próprio sucesso de um adesivo que representar a família já dá o que pensar.
Eu acho bonitinho, sem muita sociologia...acho carinhoso...um pouco brega hahaha
Ah, o meu marido contou uma história engraçada, é que um colega tinha o bonequinho "ele"e o do cachorro, aí alguem colou outro bonequinho e uns coraçoezinhos, e ele andou DIAS com aquilo até algum amigo perceber e contar p ele...vou uma tiração ... bj vanessa
eu entro e eu comento (faz um selo!) bjao

Raquel Ribeiro Mohtadi disse...

Oi Van,
achei bem interessante o assunto. Li alguma coisa que dizia ser uma forma de propaganda que se utiliza de poucas palavras ou símbolos para transmitir uma mensagem. Pode ser apelativa, sentimental, política, crítica, gozaçao, ou um sentimento mais profundo: solidão, necessidade de compartilhar um momento como o nascimento do filho, retratar a família como o grupo que lhe dá prazer, uma sátira, uma crença ou, como fazem os motoristas de caminhão com frases interessantes. No caso de segurança, acho que um assaltante não se emociona com uma figura mostrando crianças, pessoas idosas ou qualquer outro símbolo. O objetivo dele é mais forte que qualquer figura apelativa.
Pode acontecer que outros motoristas sejam mais cuidadosos ao ver o símbolo de crianças a bordo. Acredito que o respeito humano ainda acontece na sociedade.
Com relação a crítica "criativa", achei interessante uma frase colocada em um carro (uma brasília). "O Lula não sabe dirigir uma Brasília, eu sei!"
O curioso é que nenhum desses caras que colocam adesivos, identificam o time de futebol que torcem... aí sim, vira um caos!!!
O espaço é pequeno para um assunto tão abrangente, mas é delicioso discorrer sobre o mesmo. Fiquei com vontade de entrevistar os motoristas que colocam este tipo de adesivo pra saber o que o levou a tomar esta atitude... curiosidade é o que não me falta!!!
Bjão filhota!

Vanessa Ribeiro disse...

Oi pessoal,

Ok, talvez vcs tenham razão, pode que não prenina ninguém de roubar e eu esteja sendo romântica.... anos fora do Brasil né?

Agora, que a história da Dani do cara sozinho com cachorro e que colaram coraçõezinhos é boa, ah isso é. Fantástica! Raquel, bora entrevistar o povo...

Adorei todos os comentários.

Vanessa

Related Posts with Thumbnails