17 fevereiro 2011

Working Mom Cristina (Cris) Zanetti



A Cristina (Cris) Zanetti tem 35 anos, mora em São Paulo, é personal stylist da Oficina de Estilo e mãe da Estela, de 2 anos.


Blog   Flickr    Facebook

Conheci as meninas da Oficina de Estilo quando morava em Paris e escrevia uma coluna de moda para uma revista brasileira. Eu entrevistei a Cris e a Fer em 2005 e achei elas duas uma graça. Sou fãzoca do trabalho delas e segui muitos dos seus conselhos de estilo durante a gravidez.

Um dia normal na tua vida…
Haha! Eu não tenho rotina nenhuma, mas normalmente acordo com a Estela chamando, fico brincando com ela até a Kelly (a babá) chegar. Trabalho no escritório em casa, ou em reuniões ou com clientes fora de casa. Volto às 19h, que é quando a Kelly vai embora e fico com a Estela até a hora dela dormir. Nas quartas de manhã eu fico com a Estela, a Kelly só chega ao meio dia, e vou à praça com ela. Às quartas a Kelly dorme com a Estela e eu e meu marido aproveitamos pra sair, jantar fora, ir ao cinema, encontrar os amigos... Às quintas meu marido chega às 19h e coloca a Estela pra dormir assim consigo trabalhar até mais tarde.

Trabalhar e ser mãe é compatível?
Muito! É cansativo, mas é muito compatível!

No dia a dia, qual é o segredo para conseguir fazer tudo (ou quase tudo) que tem pra fazer?
Estar presente em cada coisa que se faz. Na hora de trabalhar não ficar preocupada com o que está acontecendo em casa e na hora que está na função de mãe não ficar se preocupando com o trabalho. Pra isso é muito importante confiar na “equipe” que se tem. Eu tenho uma babá maravilhosa e confio muito nela, então posso ficar sossegada enquanto não estou com a Estela. Também confio na minha mãe, no meu marido, nas minhas irmãs, na minha sogra... Não dá pra ficar neurótica, sabe!?! A gente tem que acreditar que está cercada por pessoas boas e que querem o bem do nosso tesouro, mesmo que algumas vezes essas pessoas não tomem exatamente a mesma atitude que a gente tomaria num determinado momento!

Nada disso seria possível sem...
Segurança na minha capacidade de ser mãe. Não me sinto culpada por sair pra trabalhar nem por um segundo. Quando estou com ela estou 100% com ela e ela já sabe desde pequena que eu amo o meu trabalho e que sou muito feliz fazendo o que faço!

E para recarregar a pilhas, o que você faz?
Durmo o máximo que consigo, tiro férias a dois quando posso e aproveito a minha quarta-feira com o meu marido.

Você é personal stylist de gente da vida real. No teu caso, teu estilo pessoal mudou desde que você se tornou mãe? Em que sentido?
Não é que mudou, continuo gostando das mesmas coisas que gostava, mas fiquei mais segura. Minha identidade visual ficou mais definida. Acho que depois que a gente vira mãe a gente não se liga mais tanto em inseguranças, fica tudo mais “preto no branco”, mais claro. Como se a gente não tivesse mais interesse no que não é muito importante. Isso refletiu no meu jeito de me vestir: ou gosto ou não gosto, ou é pra mim ou não é, simples assim!

Quando somos mães, costumamos pensar mais nos nossos pequenos que na gente. Acaba sobrando pouco tempo para se vestir, ir ao salão, academia, etc..., principalmente quando o bebê é pequeno. Que dica você daria para as mamães que trabalham e tem pouco tempo mas precisam estar bem vestidas?
Ter um guarda-roupa conciso, fácil de coordenar, que colabore com o nosso dia a dia em vez de confundir. Mas é muito importante arrumar um tempinho pra se cuidar, pra ficar bonita. Mãe com auto estima boa é a melhor coisa que podemos dar pros nossos filhos. Eu li uma vez uma frase que eu amo ”filhos não seguem nossos conselhos, filhos seguem nossos exemplos” e é isso que procuro fazer, ser um exemplo de mulher segura e bem amada!

Na tua opinião, qual é o maior desafio de ser mãe?
Criar um ser humano bom pro mundo. O filho não é nosso, é da nossa sociedade.

Um dia ideal para ti...
Todos! Não existe um ideal, existe o melhor que a gente pode fazer!

4 comentários:

Raquel Ribeiro Mohtadi disse...

Fico muito feliz de poder conhecer os diversos depoimentos das jovens mães equilibrando os novos papéis que têm que assumir a partir da maternidade. Adorei o que a Cristina (Cris) comentou de uma frase que ela ama: ”filhos não seguem nossos conselhos, filhos seguem nossos exemplos”. Eu também ouvi e sigo uma frase que, em outras palavras, tem o mesmo siginificado: "Palavras comovem, exemplos arrastam".
Parabéns pela entrevista, pela entrevistada. Acho que este espaço que você criou Vanessa, poderia ser o início para um forum onde pessoas de diversas idades, culturas e profissões pudessem debater, colaborar, e até orientar sobre o assunto (desculpa se estou desatualizada, talvez já esteja funcionando assim). Por exemplo, "culpa" é um tema maravilhoso para que se trocar experiências, entre os seguidores do blog.
Estou esperando a próxima entrevista....
Beijos às novas mamães e às antigas mamães, agora... novas vovós!!!

Cris disse...

Obrigada, Vanessa!
Foi um prazer!!!
Ser mãe não é fácil, mas também não é tão difícil assim. É viver um dia de cada vez e não se culpar se em alguns momentos a gente não é capaz de ser "perfeita", né!?!
Muitos beijos
Cris

Grite disse...

I really love this Vane!! very interesting and well done. I agree with Raquel, we need grandmas interviews!!

Thaís Rosa disse...

Já tava com saudade das entrevistas!
Bem legal a experiência da Cristina, e a tranquilidade em equilibrar trabalho e maternidade. Por aqui até hoje não conseguimos construir um esquema pra preservar semanalmente nossos momentos a dois, o que acho fundamental pra esse equilíbrio também.
E concordo plenamente: se a mãe está feliz com o que faz, o filho sente, e conciliar trabalho e maternidade fica bem mais fácil.
beijos às duas
thaís

Related Posts with Thumbnails